dicas de marketing e negócios

  • Bruno da Roma

A LGPD vem aí! Quanto você está preparado?

A LGPD é a sigla para Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil, que visa estabelecer regras passíveis de punição, sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais. Entenda mais!


O mundo realmente está em constante transformação. E como se não bastasse os imprevistos da vida, ainda temos de lidar com mudanças previstas, que prometem alterar o rumo de nossas histórias, sobretudo, no que se refere ao universo dos negócios.


A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGDP) é um bom exemplo disso. Que por sua vez, promete modificar a maneira com que organizações e empresas coletam, armazenam e utilizam os dados de seus clientes - online e offline.


Embora muitos empreendedores já estejam a par da situação, diversas pessoas afirmam ter dúvidas sobre o funcionamento e a adequação às novas regras, que visam assegurar direitos e deveres estabelecidos por lei.


O que é LGPD?


Em síntese, a LGPD - foi sancionada em agosto de 2018, e, deverá entrar em vigor entre agosto a dezembro de 2020. No entanto, já existe uma proposta que sugere o adiamento das novas regras, e que se for aprovada, altera a data de vigência para 2022.

Contudo, seja como for, a LGPD estabelece regras sobre o uso de dados pessoais, cujo intuito é garantir mais proteção para os usuários. Para as empresas e organizações que não se adequarem, a leia prevê penalidades.


O que é considerado dado pessoal?


Nesse sentido, dado pessoal é toda e qualquer informação que permite a identificação direta ou indireta de alguém. Ou seja, nome, data de nascimento, documentos, endereço, e-mail etc.


Portanto, o trabalho da LGPD será garantir que as empresas não deixem esses dados 'vazarem', a fim de assegurar a proteção da privacidade e intimidade das pessoas.


As mudanças nos negócios digitais


Obviamente que com as mudanças previstas em lei, muitas organizações se preparam para a adequação às novas regras. Sendo que, a LGPD vale para qualquer tipo de negócio, independentemente de seu tamanho ou natureza.


Mas, como essas mudanças irão impactar os negócios digitais?


Decerto será preciso trabalhar dentro dos limites estabelecidos, a fim de garantir que seu valor seja percebido.


Mudanças como, aplicar métodos mais naturais para captar pessoas, estão previstas. Como por exemplo, utilizar ações mais específicas e personalizadas para prospectar leads e promover conversões reais.


Em outras palavras, os profissionais que investem em negócios digitais poderão utilizar essa mudança para explorar seu potencial criativo, repensando suas ações de marketing a fim de evoluir em suas estratégias.


A ideia é gerar valor para o cliente, garantindo o reconhecimento da empresa por meio de interações positivas e de total transparência.


Não existe uma fórmula mágica para lidar com as mudanças, contudo, alinhar o conteúdo produzido pela organização com os interesses nativos dos clientes, pode resultar em um vínculo de confiança entre ambas as partes.


É totalmente possível aplicar as estratégias de Inbound Marketing dentro das novas regras, desde que seja feito de maneira legal.


Como mudar e se adaptar a LGPD?


#1 - Busque informação em fontes confiáveis


O primeiro passo é ir atrás de entidades que produzem material sobre o tema. O Sebrae é um bom exemplo e já está trabalhando em prol das empresas que querem se adequar.

Através desses materiais é possível estudar uma estratégia mais assertiva a ser traçada.


#2 - Repense a forma de trabalhar com os dados pessoais de seus clientes


Acima de tudo, investigue como os dados de seus clientes têm sido utilizados por sua empresa. Comece avaliando desde a fase de coleta, até a etapa de transferência e uso.

É importante observar quem são as pessoas e organizações que acessam esses dados, evitando o uso indevido e sem consentimento. Nesse hiato, só colete dados que realmente terão uma finalidade em seu negócio.


#3 - Mantenha a transparência, assim como manda a LGPD


No momento em que for pedir um dado pessoal ao cliente, informe os reais motivos desse pedido. Evite que algo fique 'confuso' e, se possível, oriente o cliente para realizar uma revisão dos termos.


#4 - Mantenha os dados em segurança


Utilize um antivírus e garanta que ele fique sempre atualizado. Isso pode prevenir ações de hackers.


Além disso, reveja os níveis de segurança dos dados armazenados e limite os acessos dentro da empresa.


Agora que você já sabe que a LGPD vem aí, o quanto você está preparado?

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais e continue acompanhando nossas próximas publicações!

comece a crescer agora mesmo com a roma

fale com um de nossos consultores

© Roma inteligência em marketing, 2020. Política de Privacidade.